segunda-feira, 27 de junho de 2011

Sepultura – Kairos (2011) – Download

  1. 1.Spectrum 04:03
    2. Kairos 03:37
    3. Relentless 03:36
    4. 2011 00:30
    5. Just One Fix (Ministry cover) 03:33
    6. Dialog 04:57
    7. Mask 04:31
    8. 1433 00:31
    9. Seethe 02:27
    10. Born Strong 04:40
    11. Embrace the Storm 03:32
    12. 5772 00:29
    13. No One Will Stand 03:17
    14.
    Structure Violence (Azzes) 05:39
    15. 4648 08:22

http://www.megaupload.com/?d=64DG6YAB

Super Interessante – Junho 2011 – Download

http://www.megaupload.com/?d=X0M8CJYX

Link originalmente postado no blog Scanmaniacs http://scanmaniacs.blogspot.com

Capitão América Segundo Trailer

Esse trailer me causou uma ótima impressão, ao que tudo indica o filme será extremamente fiel à mitologia do `bandeiroso`!

Mas vindo do Marvel Studios o que se espera é algo desse nível mesmo, eles conseguiram um magnífico nível de fidelidade aos quadrinhos ao mesclarem elementos das continuidades 616 e Ultimate, conseguindo assim agradar gregos e troianos e ainda chamar a atenção do grande público, leigo em HQ´s da Marvel.

Fonte: Omelete http://www.omelete.com.br

Tsavo – Primeiro videoclip oficial

Ótima banda goiana de thrash metal que recentemente retornou à ativa

http://www.myspace.com/tsavoinc

Baba de Sheeva – Desobedeça (Videoclip)

Segundo clip de uma das mais gratas revelações do underground goiano

http://www.myspace.com/babadesheeva

Livro conta a história da Marvel Comics nos anos 1970

Uma das décadas mais cultuadas pelos fãs da "Casa das Ideias" é detalhada em todos os seus momentos, com textos ricamente ilustrados, no livroMarvel Comics in the 1970s: An Issue-By-Issue Field Guide to a Pop-Culture Phenomenon, que aTwoMorrows Publishing lançará nas livrarias ecomic shops dos Estados Unidos, no próximo dia 20 de julho.

Escrito por Pierre Comtois, o livro é a continuação de Marvel Comics in the 1960s, do mesmo autor, e mostra os anos de ascensão de Stan Lee como chefão editorial, a saída de Jack Kirby para a DC Comics, a introdução de assuntos polêmicos nas HQs da editora - como Harry Osborn usando drogas, nas aventuras do Homem-Aranha -, além do surgimento de grandes escritores e desenhistas e a reformulação dos X-Men (que os transformaria em um dos mais famosos personagens dos quadrinhos).

Tudo isso e muito mais, incluindo histórias de bastidores contadas por artistas como Barry Windsor-Smith, John Romita Sênior, Chris Claremont, Gene Colan, Marv Wolfman, Sal Buscema, Gil Kane e outros.

Marvel Comics in the 1970s tem 224 páginas e será vendido por US$ 27.95.

Fonte: Universo HQ http://www.universohq.com.br

Conexão Underground MS/GO – 02/07 – Sábado – Old Studio – Goiânia

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Who Cares ( Ian Gillan, Tony Iommi & Friends) – Out Of My Mind / Holy Water – Single (2011) – Download

Em 7 de dezembro de 1988, um pavoroso terremoto aconteceu na Armênia, me lembro vagamente disso, o acidente geológico teve uma repercussão mundial e milhares de pessoas ao redor de mundo organizaram ações para ajudar de algum modo as vítimas do terremoto.

Entre essas pessoas estava ninguém menos que Ian Gillan, lenda viva do Deep Purple, que juntamente com Tony Iommi (preciso falar de que banda ele é?!!?) organizou uma regravação de `Smoke On The Water`, com vários convidados especiais, basicamente a nata do metal/hard rock da época.

A regravação foi extremamente bem sucedida e toda a renda das vendas foi doada a organizações humanitárias que estavam atuando na Armênia.

Com o passar dos anos os dois líderes do projeto passaram a visitar constantemente a Armênia, e o inevitável aconteceu, se apaixonaram perdidamente pela cultura e pela população armenas!

Após uma recente visita conjunta a cidade de Yerevan, Iommi e Gillan decidiram montar o projeto WhoCares, na verdade um supergrupo, com o propósito específico de financiar a reconstrução de uma escola de música em Gyumri.

Decidiram-se por lançar um single com duas músicas, `Out of My Mind`, escrita por Gillan/Iommi, e `Holy Water`, escrita por Gillan e Steve Morse (guitarrista do Deep Purple), que teve a participação de músicos armenos em sua gravação.

Para a gravação das duas faixas a dupla montou um verdadeiro `dream team`, no teclado o primeiro e único Jon Lord, que saiu de sua aposentadoria apenas para participar do projeto!

Na batera ninguém menos que Nicko McBrain, batera do Iron Maiden; no baixo Jason Newsted (ex-Metallica, Voivod, Flotsam & Jetsam e mais um monte de projetos!), e na guitarra, além de Sir Iommi, Mikko `Linde` Lindströ , do HIM, banda da qual não gosto nem um pouco mas isso é apenas um detalhe que nem vem ao caso agora.....

Esse time gravou `Out of My Mind` que é o `lado A` do single, para `Holy Water` a formação foi: Ian Gillan, Tony Iommi, Steve Morris (guitarra), Michael Lee Jackson (guitarra), Rodney Appleby (baixo), Randy Clarke (bateria), Jesse O´Brien (órgão Hammond), Arshak Sahakyan (duduk, instrumento típico armeno) e Ara Gevorgyan (duduk)

Ambas as músicas são muita boas, gostei bastante delas, ainda mais por todo o lance envolvido, sou completamente apaixonado pelos países daquelas bandas, culturas milenares que tem sido vítimas de crueldades históricas através dos tempos. E mesmo assim preservam suas culturas, que fascinam pessoas sensíveis de todos cantos dos mundos, como prova o projeto WhoCares.

O single digital foi lançado em 06/05 pela Eagle Rock Entertainment, e o single físico sairá no dia 24/06 na Europa, pela earMUSIC, e no dia 27/06 nos E.U.A e Canadá também pela Eagle Rock.

Além das duas músicas, o single também tem o clip de `Out Of My Mind`, que você pode assistir aqui, e um documentário de 40 minutos que mostra o envolvimento de Iommi e Gillan com a Armênia através dos anos.

Sou extremamente suspeito para falar qualquer coisa sobre esses dois camaradas porque ambos são duas das minhas maiores referências como músicos e como seres humanos. Simplesmente adoro suas bandas e suas carreiras solo, quer dizer, adoro quase tudo, porque eles também já lançaram várias `bombas`!

Baixe o single do WhoCares e viaje em duas ótimas músicas feitas por quem realmente entende do assunto!

http://www.filesonic.com/file/959552634

Link originalmente postado no Blog Hard Appetite http://hardappetite.blogspot.com/


Metallica grava disco com Lou Reed!

Uma das parcerias mais inusitadas da história da música!

Semana passada Metallica e Lou Reed anunciaram que gravaram um disco juntos, dez músicas escritas por Reed e arranjadas e executadas pelo Metallica!

Os músicos se conheceram há alguns anos atrás em um show de aniversário do Rock and Roll Hall of Fame em New York, quando Hetfield, Hammet e Trujillo foram a banda de apoio de Lou Reed (quero uma banda dessas!) em duas músicas.

Após o show passaram a manter contato, e rapidamente as conversas evoluíram para o desejo de fazer um trabalho conjunto.

Reed sugeriu a Ulrich e Hetfield que eles usassem canções que ele havia escrito para uma peça teatral alemã chamada `Lulu`, baseada nos trabalhos do escritor Frank Wedekind.

Toda essa carga teatral em torno das canções a princípio assustou a dupla líder do Metallica, mas após várias audições do material chegaram a conclusão que elas seriam um ótimo desafio para a banda, e disseram sim à proposta de Lou Reed

As gravações aconteceram no `quartel general` que o Metallica mantém no sul da Califórnia, e segundo Lars o disco está 90% pronto. O que está atrasando um pouco o lançamento é que no momento tanto Lou Reed quanto o Metallica estão sem gravadoras!

Gosto demais do Metallica, é uma de minhas bandas preferidas, e também gosto do Velvet Underground, mas mais pelo lado literário e pela influência seminal que eles tiveram sobre o movimento punk, sonoramente algumas coisas deles me agradam e (muitas) outras não.

Sinceramente não sei o que esperar desse disco, nesse caso o negócio realmente será esperar para ver!

Fã chinês do Homem de Ferro constrói armadura do personagem

O que não falta por aí é gente com tempo, disposição e dinheiro para levar às últimas consequências a sua paixão por algum personagem do mundo do entretenimento.

É o caso de Wang Kang, um chinês de 25 anos de idade, que construiu uma réplica da armadura do Homem de Ferro e desfilou pela empresa em que trabalha, na cidade de Xangai, trajando a indumentária do super-herói da Marvel Comics.

Segundo reportou o UOL Tabloide, com informações do site de notícias Orange, Wang afirmou ter levado três meses para construir a armadura, que pesa 50 quilos e é feita de espuma vinílica acetinada aplicada em moldura de alumínio, com alguns complementos de ferro soldado. Tudo retocado por uma tinta que simula ferro desgastado.

Como se vê no registro em vídeo (assista abaixo) da aparição do Homem de Ferro chinês, a surpresa e a diversão tomaram conta dos colegas de trabalho de Wang Kang.

Fonte: Universo HQ http://www.universohq.com.br

Anthrax anuncia lançamento de novo disco

`Worship Music`, este é o nome do novo disco do Anthrax, que será lançado em 13 de setembro pela Megaforce Records, nos E.U.A, e mundialmente pela Nuclear Blast.

Além de ser o primeiro lançamento do Anthrax em 8 anos (!!!), o novo disco também será o primeiro com Belladona desde sua volta para a banda alguns anos atrás, o último lançamento dele com o Anthrax foi `Persistence of Time`, em 1990.

O novo disco foi produzido pelo Anthrax, Rob Caggiano (guitarrista do próprio Anthrax, que ao que tudo indica não tem `status` de membro oficial da banda) e Jay Ruston.

As gravações demoraram 4 anos e foram feitas em vários estúdios em New York, Los Angeles e Chicago, as cidades base do Anthrax.

Algumas das faixas de `Worship Music` faziam parte do disco que o Anthrax gravou com o vocalista Dan Nelson alguns anos atrás, que foi descartado quando o mesmo foi expulso da banda.

Com a volta de Belladona ao Anthrax algumas músicas do disco abortado foram usadas mas a maioria do material foi escrita do ponto zero!

Em alguns shows recentes o Anthrax tem tocado a faixa `Fight ´Em ´Til You Can´t`, que é uma das músicas que estarão em `Worship Music`.

Megadeth trabalhando em novo disco

O Megadeth já está trabalhando em seu novo disco, que está sendo gravado no estúdio Vic´s Garage, em San Marcos, California, cujo proprietário é o próprio Dave Mustaine.

O álbum está sendo produzido por Johnny K, que já trabalhou com Disturbed, Sevendust, Machine Head, Staind, e mais algumas bandas pesadas.

Recentemente Mustaine anunciou que o Megadeth encomendou a arte do novo CD a John Lorenzi, que já trabalhou com a banda nos discos `United Abominations`, `Endgame` e no box set `Warchest`.

Perguntado sobre a sonoridade do álbum em uma recente entrevista Mustaine disse que ainda é muito cedo para falar algo, mas que o novo material é pesado, melódico, e tem as características tradicionais do Megadeth.

Inicialmente o disco seria produzido pelo super requisitado Andy Sneap, mas um conflito de agendas impossibilitou que ele mais uma vez produzisse o Megadeth.

O disco será lançado ainda esse ano pela Roadrunner.

Holy Terror | Graphic novel de Frank Miller tem novidades

A graphic novel Holy Terror, de Frank Miller, que antes seria estrelada pelo Batman e que o quadrinista diz estar produzindo pelo menos desde 2005, enfim ganhou uma data de lançamento.

A Legendary Comics, marcou a chegada do volume às lojas dos EUA para setembro. Em capa dura, a HQ custará 30 dólares e terá o formato horizontal de 300. O envolvimento da empresa, selo de quadrinhos da Legendary Pictures, sugere a intenção de adaptação ao cinema.

A trama apresentará um novo personagem, The Fixer ("o consertador"), um aventureiro com treinamento nas forças especiais que enfrenta o crime para manter a forma. Quando sua cidade é atacada por terroristas, porém, ele parte em uma caçada para encontrar os responsáveis. Miller tirou a HQ da DC Comics quando percebeu que o personagem que estava escrevendo deixou de ser o Batman.

Fonte: Omelete http://www.omelete.com.br

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Arch Enemy - Khaos Legions (2011) - Download

Tracklist:
1. Khaos Overture (Instrumental) 01:31
2. Yesterday Is Dead and Gone 04:22
3. Bloodstained Cross 04:49
4. Under Black Flags We March 04:41
5. No Gods, No Masters 04:15
6. City of the Dead 04:33
7. Through the Eyes of a Raven 05:10
8. Cruelty Without Beauty 05:00
9. We Are a Godless Entity (Instrumental) 01:34
10. Cult of Chaos 05:11
11. Thorns in My Flesh 04:55
12. Turn to Dust (Instrumental) 00:39
13. Vengeance Is Mine 04:11
14. Secrets 04:16
15. The Zoo (Japanese Bonus Track) 04:42

http://lix.in/-a1c7f6

Link originalmente postado no Blog Reign Of Terror

http://reignofterror-spw.blogspot.com

Metal Forces - 19/06 - Old Studio - Goiânia

Os Vingadores – Primeiro poster

Recentemente o primeiro poster do filme dos Vingadores foi mostrado em uma feira de entretenimento em Las Vegas, trata-se de uma arte feita especificamente para atrair potenciais investidores interessados em produtos com a `marca` Vingadores, brinquedos, camisas, etc...

De modo algum esse é o cartaz oficial e definitivo do filme, mas de qualquer forma é `duca` ver todos os heróis dos filmes do Marvel Studios até agora reunidos em uma única montagem. É interessante também se destacar que os uniformes estão bem próximos aos das versões ultimate dos personagens.

Apesar de ser até `legalzinho` esse primeiro cartaz não chega nem aos pés do `fan made poster` que foi divulgado ano passado!

Capitão América: O Primeiro Vingador ganha cartaz retrô

Capitão América: O Primeiro Vingador ganhou um cartaz retrô, que faz referência à capa da primeira história em quadrinhos do personagem (Captain America Comics #1, 1941).

A arte pintada encontra espaço para divulgar todo o elenco principal, incluindo Chris Evans (Steve Rogers), Hugo Weaving (Caveira Vermelha), Hayley Atwell (Peggy Carter), Sebastian Stan (Bucky Barnes), Tommy Lee Jones (General Chester Phillips), Dominic Cooper (Howard Stark), Neal McDonough (Dum Dum Dugan), Stanley Tucci (Dr. Abraham Erskine), Toby Jones (Arnim Zola), Derek Luke (Gabe Jones) e os integrantes do Comando Selvagem.

CAPA DE CAPTAIN AMERICA # 1 (1941)

O cartaz foi pintado por Paolo Rivera e presenteado ao elenco e equipe do filme pelo Marvel Studios.

Joe Johnston (O Lobisomem) dirige o filme a partir do roteiro de Christopher Markus e Stephen McFeely. Alan Silvestri assinará a trilha sonora. Capitão América: O Primeiro Vingador estreia em 22 de julho nos EUA e em 29 de julho no Brasil.

Fonte: Omelete http://www.omelete.com.br

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Morbid Angel – Illud Divinum Insanus (2011) – Download

01 - OMNI POTENS
02 - TOO EXTREME!
03 - EXISTO VULGORÉ
04 - BLADES OF BAAL
05 - I AM MORBID
06 - 10 MORE DEAD
07 - DESTRUCTOS VS. THE EARTH / ATTACK
08 - NERVEMORE
09 - BEAUTY MEETS BEAST
10 - RADIKULT
11 - PROFUNDIS - MEA CULPA


http://www.mediafire.com/?8xlzc5qvdqs7zr5

Link originalmente postado no Blog Rock e Metal Download

http://rockemetaldownload.blogspot.com

Cavalera Conspiracy – Live At Les Festival Eurockéennes 2008 (França) – Video Download

Reboot no Universo DC – Uma traição para os velhos leitores?

A DC Comics decidiu reiniciar toda a sua linha de quadrinhos, começando em agosto. Quais as razões para isso e qual a perspectiva para os velhos DCnautas?

Thiago Siqueira

Não é raro que me perguntem por onde começar a ler HQs e a resposta sempre se torna complicada justamente por conta de questões envolvendo continuidade e cronologia, que são os maiores diferenciais dos quadrinhos das grandes editoras americanas. As histórias, via de regra, tem efeito permanente na vida daqueles personagens e devem ser levadas em conta pelos roteiristas que vierem a trabalhar com esse ou aquele título.

Isso acaba por funcionar como uma faca de dois gumes. Por um lado, temos um universo gigantesco de histórias, onde o leitor mais antigo se vê recompensado ao acompanhar por tanto tempo a vida desse ou daquele herói, sentindo que realmente faz parte do cotidiano dele. Por outro, acaba por engessar um pouco os criadores e dificulta a entrada de novos leitores para determinados títulos.

Ou seja, não foi a troco de nada que a DC anunciou nesta semana que irá realizar em setembro um relançamento em seu universo de heróis, reiniciando todos os títulos publicados desde o número um, aproveitando o gancho da saga “Flashpoint”, publicada atualmente nos EUA. Há alguns anos, a Marvel Comics criou uma linha separada para versões atualizadas de seu panteão, mas manteve também a continuidade clássica. Ou seja, trata-se de a DC adotou um procedimento bem mais radical.

Personagens clássicos serão modificados e atualizados, tanto em seus uniformes quanto em suas histórias. 52 edições serão lançadas ao longo daquele mês, reapresentando os heróis ao público, com um universo redesenhado por novas equipes criativas, chefiadas por Geoff Johns (“Lanterna Verde”) e Jim Lee (“Batman – Silêncio”).

Não é a primeira vez que a editora faz isso. Em 1986, no auge de uma verdadeira balbúrdia que era o Universo (aliás, Multiverso) DC, foi lançada a maxissérie “Crise nas Infinitas Terras”, que enxugou os excessos de versões múltiplas de personagens e deu novas origens a alguns heróis e vilões. O resultado foi que a última história do Superman, “O Que Aconteceu ao Homem de Aço?”, escrita por Alan Moore foi seguida pela minissérie “Superman – O Homem de Aço”, versão de John Byrne para o nascimento do último kryptoniano e que foi a linha-base para os escritores até recentemente. Por sua vez, o Batman teve seu “Ano Um” narrado magistralmente por Frank Miller e David Mazzucchelli.

A questão aqui é que não foram as dobras cronológicas que levaram a DC a realizar esta manobra tão arriscada novamente, mas sim uma necessidade mercadológica. O público que vai sair dos cinemas após uma sessão de “Lanterna Verde” e for atrás de histórias do personagem, provavelmente se assustaria ao ver que teria de ir atrás de mais de 60 edições, mais infindáveis especiais e tie-ins para se inteirar das tramas. O gamer que acabou de zerar “Batman – Arkham Asylum” e que está na pilha para descobrir mais sobre o homem-morcego vai querer abrir uma HQ na qual Bruce Wayne é o Batman.

Interessante notar que a própria DC começou a lançar, em 2010, uma nova linha de graphic novels chamada “Earth One”, cujo objetivo era justamente lançar versões contemporâneas dos seus principais heróis. Com o reboot na principal, o destino dessa alternativa editorial é incerto, mesmo com o roteirista J. Michael Straczynski (que escreveu o script do filme “A Troca“) tendo afirmado recentemente no Twitter que já estava terminando o roteiro do segundo livro da série “Superman – Earth One“.

Lembremos ainda que a DC agora é “DC Entertainment”, não estando focada apenas nos quadrinhos, mas em um mercado bem mais abrangente. Não é por acaso que, a partir desta mudança, as HQs da editora sairão simultaneamente em papel e em formato digital, oferecendo ao público, além das HQs de modo tradicional, a opção de compra das edições em combos digital + física, ou mesmo apenas as edições virtuais. Essa será uma mudança significativa para o modo de vendagem dos gibis, principalmente em tempos de iPhones e iPads.

Além disso, há outro fator a ser considerado: o processo movido pelos herdeiros de Jerry Siegel e Joe Shuster, os criadores do Superman, com esse litígio ameaçando quebrar o personagem em dois, tendo em vista que a DC se torna dona de tudo o que veio APÓS a publicação da primeira “Action Comics”, mas os conceitos que tinham naquela publicação, como a capacidade de saltar grandes distâncias e a famigerada “cueca por cima das calças” ainda estão sob disputa. O celebrado autor Grant Morrison, responsável pela fantástica minissérie “Grandes Astros – Superman” será o responsável por revitalizar Kal-El.

No entanto, os fãs do casal Lois e Clark estão em pânico com uma provável dissolução de um dos casamentos mais duradouros dos quadrinhos e com uma possível aproximação entre o Homem de Aço e a Mulher-Maravilha (o primeiro a fazer piada sobre aquela música ridícula ganha uma viagem só de ida para a Zona Fantasma). Para quem já viu o Superman agüentando séculos “na seca” junto à bela Diana por pura devoção à sua amada esposa, será um golpe duríssimo (sem trocadilhos). Bom, pelo menos o Azulão não vendeu o casamento dele para o capeta, como um certo herói aracnídeo da Marvel…

Falando na Princesa Amazona, que teve seu uniforme redesenhado há alguns meses, as mudanças de figurino devem atingir as demais heroínas na DC. A ordem é que maiôs e meias-arrastão fiquem de fora dos guarda-roupas das vigilantes a partir de agora. Chora o nosso conterrâneo, o ótimo desenhista cearense Ed Benes, famoso por mostrar bem certos “detalhes anatômicos” das belas guerreiras em seus trabalhos para a editora.

Os leitores mais velhos – eu incluso – com certeza se sentirão traídos pelo investimento emocional jogado quase que no lixo, após de continuidade desconsiderados com este novo recomeço no Universo DC, sem contar a perda histórica para a já citada clássica Action Comics, que recentemente atingiu sua edição de número 900 e deverá voltar ao um.

Como vimos, há mais em jogo nessa decisão do que o coração de nós, fãs devotados. O que está na balança o próprio futuro financeiro e a rentabilidade dos heróis DC. O que resta para os fãs é rezar que as novas equipes criativas tragam boas histórias com nossos amados personagens, agora repaginados para um novo público.

Matéria originalmente publicada no site Cinema Com Rapadura

http://www.cinemacomrapadura.com.br

Tom Araya recebeu as chaves de Vinã Del Mar, sua cidade natal!

No último dia 03/06 Tom Araya recebeu as chaves de Vinã Del Mar (Chile), sua cidade natal, das mãos do prefeito, em uma cerimônia de honra, realizada poucas horas antes do primeiro show do Slayer na cidade.

A família Araya se mudou para os Estados Unidos no final da década de 60 do século passado, devido ao inseguro clima político que vários países da América do Sul atravessavam na época devido às ditaduras militares.

Viajei nesse acontecimento, é muita honra um músico de metal receber as chaves de uma cidade, não me lembro de isso ter acontecido com algum músico do estilo antes, quer dizer, me lembro de ter lido em um livro que o Led Zeppelin uma vez recebeu a chave de uma cidade no sul dos E.U.A, mas eles serem ou não heavy metal é uma discussão infindável, cheia de argumentos prós e contras, um verdadeiro debate sobre o sexo dos anjos!

De qualquer forma, Tom Araya receber as chaves de Viña Del Mar é um acontecimento histórico, o reconhecimento oficial do governo chileno para o talento de um cidadão ilustre, que sempre fez questão de dizer que é chileno em suas entrevistas.

Um fato engraçado nisso tudo é que o Chile é um país católico, de vez em quando alguma banda de metal é impedida de tocar lá pelo clero, não tenho cem por cento de certeza, mas parece que até o Iron Maiden já foi barrado de tocar por lá.

E quando o governo chileno resolve homenagear um músico chileno mundialmente conhecido escolhem um que fez toda uma carreira cantando sobre o tinhoso, vai entender!


Evan Seinfeld saiu do Biohazard

Após décadas à frente da banda Evan Seinfeld deixou o Biohazard,

Os motivos de sua saída não foram revelados.

Scott Roberts, que tocou guitarra no álbum `Means To Na End` (2005) irá assumir os vocais da banda em dois shows na Inglaterra nos dias 12 e 13 de junho.

Após isso Danny Schüller, Billy Graziadei e Bobby Hamble começarão a procura por um novo vocal para o Biohazard.

A banda acabou de gravar seu novo álbum, o primeiro com a formação original desde 1994, com o produtor Toby Wright (Korn, Slayer, Kiss, Soulfly, In Flames, e mais um monte de gente!). E ao que parece o álbum será lançado normalmente mais para o fim do ano, por enquanto eles ainda não falaram nada sobre o novo vocalista regravar os vocais, mas é muito provável que isso ocorra.

Há tempos enchi o saco de Biohazard, só escuto mesmo os 3 primeiros discos, e mesmo assim de vez em quando, do `State of The World Address` para cá os trabalhos foram ficando cada vez mais chatos e repetitivos, tipo uma piada que você já escutou mil vezes.

Mas mesmo assim é chato ficar sabendo que o Evan saiu da banda, boa sorte pros caras!

Planeta dos Macacos - A Origem - Primeiro Trailer

Assalto ao Banco Central - Primeiro Trailer e Poster

Fonte: Omelete http://www.omelete.com.br


quinta-feira, 2 de junho de 2011

Fight - War of Words (1993) - Download

Rob Halford surpreendeu o cenário metálico mundial quando logo após o fim da ultra bem sucedida tour de `Painkiller` anunciou sua saída da `instituição` Judas Priest.

Já havia algum tempo que Halford vinha manifestando sua necessidade artística de fazer algo além dos muito bem demarcados limites musicais de sua banda, tentar trabalhar com novas sonoridades.

Em entrevistas da época Halford se desmanchava em elogios às bandas thrash, em especial ao Pantera, sempre falando que as novas bandas estavam dando ao metal o fôlego para seguir em frente na nova década.

O próprio `Painkiller` já é uma amostra desse desejo de Halford de fazer um som mais moderno.

Logo após sua saída do Priest, Halford se mudou para Phoenix (Arizona), uma das `capitais` do metal nos E.U.A, para acompanhar de perto a sonoridade das novas bandas de que ele tanto gostava.

A princípio o plano de Halford era montar um projeto paralelo ao Judas Priest, mas pressões dos outros membros da banda, empresários, e também da gravadora, o levaram à decisão de sair do Judas Priest e pular de cabeça em uma incerta carreira solo.

De uma maneira totalmente inusitada para alguém de seu quilate Halford passou a trabalhar sozinho em algumas composições, sem a ajuda de nenhum outro músico!

Nesse período o `Metal God` cantou a música `Freewhell Burning` com o Skid Row em um programa da MTV britânica e também participou de alguns shows do Pantera, apresentando um estilo de vestimenta totalmente diferente do seu tradicional visual de couro, rebites e quetais, Mr. Halford estava andando no melhor estilo `street`, boné, bermuda, tênis, e um monte de tattoos!

No primeiro semestre de 1992 Halford recebeu um convite para participar da trilha sonora do filme `Buffy: The Vampire Slayer`, como ainda não tinha uma banda, chamou os amigos do Pantera para serem sua banda na gravação da música para a `soundtrack`, uma banda de luxo!

`Light Comes Out of Black`, a música de Halford para a trilha do filme, surpreendeu todo mundo com sua sonoridade pesada e agressiva, muito diferente de tudo que ele havia gravado em sua longa carreira.

Logo após isso Halford finalmente escolheu um nome para sua banda: Fight.

E juntamente com seu empresário, John Baxter, iniciou o estafante processo de escolher músicos para a banda.

Para o posto de baterista a solução foi `caseira`, nada menos que o brilhante Scott Travis, batera de sua ex-banda, que em meio ao fogo cruzado entre o Priest e Halford, optou por tocar com o amigo, logicamente deixando as portas abertas para retornar ao Judas Priest quando eles encontrassem um substituto para Rob Halford.

Da banda thrash Cyanide, também empresariada por John Baxter, vieram Brian Tilse (guitarra) e Jay-Jay (baixo, que também é tatuador e já havia feito algumas tatuagens em Halford no HTC Precision Piercing , em Phoenix).

Um graduado do famoso G.I.T (Guitar Institute of Technology), Russ Parish, completou o time.

Com essa mistura de veteranos e novatos o Fight entrou no Vintage Sound Studio (Phoenix) e começou a ensaiar e gravar demos como loucos, aperfeiçoando as mais de 20 (!!!!!) músicas que Halford havia composto, e despertando uma absurda curiosidade mundial em torno da sonoridade da banda.

Em pouquíssimo tempo a banda conseguiu um contrato com a Epic Records, e em agosto de 1993 fez o seu primeiro show no famoso Mason Jar, em Phoenix.

`War of Words`, o 1º disco do Fight, foi lançado em setembro de 1993 e foi um sucesso imediato de público e crítica.

Gravado no Wiselbood Studios, em Hilversun (Holanda), com a produção de Attie Bauw, `War of Words` chamou bastante atenção por causa de sua sonoridade cristalina, muito boa para a época.

Curiosidade macabra: Halford quase partiu dessa para melhor ao escapar por milímetros de ser atropelado por um trem em um idílico passeio de bicicleta durante um intervalo nas gravações do disco!

Com uma sonoridade beirando o thrash, aliada aos satânicos trinados de Mr. Halford, o Fight soava inovador, diferente, e rapidamente angariou uma imensa legião de fãs, inclusive eu!

A tour de divulgação de `War of Words` teve início em Frankfurt (Alemanha), em outubro de 1993, com o The Organization (formado por ex-membros do Death Angel) como banda de abertura.

A banda deu um giro de um mês pela Europa, com apenas duas datas na Inglaterra, onde uma verdadeira `war of words` aconteceu entre Halford, membros do Priest, e a imprensa local, que acusava Halford de ter `americanizado seu som e estar imitando o Pantera até no visual!`

Após essa tour na Europa o Fight retornou aos E.U.A para uma tour, dessa vez com o Cathedral como ´opening act`.

Fizeram uma rápida parada para as festas de fim de ano e retomaram a `Nailed To The Road Tour` em janeiro de 1994, juntamente com o Voivod. A tour recomeçou em Orlando, Florida.

Daí partiram para uma tour mundial, que passou pela Europa, Japão, Austrália, e até por aqui, com 2 shows no Olympia (SP/SP, ainda existe?) em março de 1994.

Por incrível que pareça Russ Parish decidiu sair do Fight para montar uma banda cover de Glam (??!!??) com o vocalista Jeff Martin (Racer X) e o guitarrista Paul Gilbert (Mr. Big)!

O nome da banda era The Eletric Fence, e não durou muito, cerca elétrica, que nome agressivo, ui, que meda!

Rapidamente o Fight recrutou Robby Lochner (Razor) para o lugar de Parish e caiu na estrada, primeiramente abrindo para o Anthrax e depois para o Metallica!

A tour de `War of Words` acabou oficialmente no dia 21/08/1994, quando eles abriram um show do Metallica no Bicentennial Park, em Miami.

Durante seu show o Metallica chamou Halford ao palco para uma jam do clássico do Judas Priest `Rapid Fire`.

Logo após o fim da tour Lochner saiu da banda, e deu início a uma carreira solo.

Meu interesse no Fight acaba aqui.

Ainda em 1994 eles lançaram o E.P `Mutations`, um apanhado de faixas ao vivo, remixes e covers do Judas Priest.

Em 1995 o Fight lançou seu segundo disco, `A Small Deadly Place`, no qual adicionaram elementos de grunge/alternativo ao seu som, elementos esses que causaram uma rejeição de proporções bíblicas tanto de pública quanto de crítica.

Revirando (muito) o disco é possível se encontrar uma ou outra canção `legalzinha` mas lamentavelmente nada do quilate das faixas do 1º disco.

As fracas vendagens, a unanimidade negativa, e os pouquíssimos shows causaram o fim do Fight.

Um fim melancólico e de certa forma inevitável.

Após o fim da banda Halford montou o projeto Gimp, que depois se tornou o Two e lançou um disco eletrônico/experimental, que acabou de matar os xiitas que odiaram `A Small Deadly Space`!

E em meio a tudo isso Halford saiu do armário, assumiu sua homossexualidade, causando debates acalorados na cena metal mundial.

Tantas mudanças em sua carreira só me fizeram admirar ainda mais Mr. Halford, tem que ser muito macho para sair de uma mega banda como o Judas Priest, montar outra banda bem sucedida e então arriscar tudo com um disco que estava na cara que não seria bem aceito!

E depois de tudo isso mudar de estilo musical e declarar publicamente ser homossexual, é muita coragem!

Tenho um carinho todo especial pelo Fight, pois eles foram a primeira banda que eu vi ao vivo nos E.U.A.

Tinha acabado de me mudar para Tucson (Arizona), em 1993, e ainda não falava nada de inglês, um belo dia meu pai comprou um jornal, e o folheando vi um anúncio de um show do `Rob Halford´s Fight`!

Consegui descobrir/decifrar a data do show, mas não tinha a menor idéia de como chegar ao local do show, então tive uma idéia: parei um táxi na rua e entreguei a folha do jornal com o anúncio do show para o taxista! Ele falava, falava, e eu não falava nada, apenas apontava para o anúncio, até que ele entendeu o que eu queria e me levou para o show!

Chegando lá o paguei (ainda bem que a viagem não foi muito cara!) e ele falou um montão comigo, não entendi nada, mas não é preciso ser um gênio para sacar que ele estava querendo combinar a viagem de volta comigo.

O local do show era pequeno, quase um bar, logo saquei onde era a fila, entrei nela e paguei minha entrada.

Essa foi uma das poucas vezes em que eu fui em um show e não conhecia absolutamente ninguém.

Fiquei viajando no visual e no comportamento dos heavies estadunidenses, rolou um pouco de som mecânico e de repente tudo parou e o show do Fight começou, sem banda de abertura nem nada!

Não tenho palavras para descrever o tanto que eu me emocionei nesse show, era um sonho se tornando realidade estar ali vendo ao vivo, e de perto, uma banda que eu só conhecia de fotos em revistas!

E o show foi assassino, tocaram o `War of Words` quase inteiro, algumas do Judas Priest e até Black Sabbath!

Querem saber como eu voltei para casa? Antes de sair anotei o endereço de casa, depois do show parei outro táxi e entreguei o papelzinho com o endereço para o taxista, que entendeu na hora o que eu queria e me levou até em casa!

Alguns meses depois desse show comecei a estudar em uma típica `high school` americana e me enturmei com os heavies de lá, fiz amizades verdadeiras, tenho contato com alguns até hoje.

Eles morreram de rir quando eu contei essa história do show do Fight para eles, alguns deles estavam no show!

Rob Halford é um dos meus heróis, como músico e como ser humano, o admiro demais, ele realmente é o Metal God!

Baixe `War of Words` e conheça/relembre uma época muito especial na carreira de Mr. Halford!

Into the Pit!

Into The Pit

Nailed To The Gun

Life In Black

Immortal Sin

War Of Words

Laid To Rest

For All Eternity

Little Crazy

Contortion

Kill It

Vicious

Reality, A New Beginning

http://www.mediafire.com/?l5mznmatxmh

Capitão América – TV Spots e 3 novos posters


Com a direção de Joe Johnston, `Capitão América: O Primeiro Vingador` estréia nos E.U.A em 22/07 e uma semana depois no Brasil.

Sepultura – Kairos: Capa, single e track list

Dando início à campanha de divulgação do álbum `Kairos` a Nuclear Blast cedeu a música homônima do novo disco do Sepultura para o 10º volume da série de CD´s `Lauschangriff` (espionagem), da tradicional revista alemã `Rock Hard`, que sempre traz em primeira mão novas faixas de bandas que estão com trabalhos prestes a serem lançados.

Como não poderia de ser em poucos dias a música caiu na rede e você pode conferi-la aqui.

Alguns dias antes a capa de `Kairos` havia sido divulgada, feita por Erich Sayers, um artista gráfico que o Sepultura conheceu em um show em Los Angeles em janeiro desse ano, a ilustração é simplesmente uma das melhores capas de toda a discografia da banda, uma verdadeira obra-prima!

`Kairos` será lançado no dia 24/06, em duas versões, uma normal, e uma `De Luxe Edition`, com um DVD com o `making of` do disco de bônus!

‘Spectrum’
‘Kairos’
‘Relentless’
(2011)
‘Just One Fix’ (MINISTRY Cover)
‘Dialog’
‘Mask’
(1433)
‘Seethe’
‘Born Strong’
‘Embrace The Storm’
(5772)
‘No One Will Stand’
‘Structure Violence (Azzes)’
(4648)

‘Spectrum’
‘Kairos’
‘Relentless’
(2011)
‘Just One Fix’ (Ministry Cover)
‘Dialog’
‘Mask’
(1433)
‘Seethe’
‘Born Strong’
‘Embrace The Storm’
(5772)
‘No One Will Stand’
‘Structure Violence (Azzes)’
(4648)

Bonus Tracks:
‘Firestarter (THE PRODIGY cover)
‘Point Of No Return

Korzus – Punk Metal All Stars

O show do Korzus no Rock In Rio 2011 promete!

Para a apresentação no dia 25/09 os caras organizaram uma super formação chamada `Punk Metal All Stars`, que inclui algumas `lendas` do underground mundial como Schimier (Destruction), East Bay Ray (Dead Kennedys), Michaele Graves (Misfits) e Mike Clark (Suicidal Tendencies), com esse time não tem como o show não ser bom, é até covardia um lance desses!

A dose brutal será repetida em São Paulo no dia 01/10, em local ainda não divulgado.

Em um recente post em seu twiter João Gordo disse que talvez participará desses shows também, tomara que role.

Ainda não foram divulgadas informações sobre o repertório que será tocado nesses shows, mas pelos currículos dos elementos envolvidos não tem muito o que se especular não: uma overdose de clássicos metal e hc!

Provando por a+b que realmente está em uma ótima fase profissional após o lançamento mundial do disco `Discipline of Hate` ano passado, pela gravadora alemã AFM Records, o Korzus será a banda de abertura do Slayer próximo dia 09/06 na Via Funchal em SP/SP!

Lanterna Verde – Novo Trailer

Dirigido por Martin Campbell `Lanterna Verde` estréia nos E.U.A em 17/06 e no Brasil em 19 de agosto.....vou acabar baixando esse filme, não vou agüentar esperar dois meses para vê-lo no cinema!

Alan Moore: Storyteller - Livro conta a trajetória do quadrinista

Fãs dispostos a descobrir os mistérios de como Alan Moore constrói seus trabalhos têm uma opção de encher os olhos.

O livro Alan Moore: Storyteller foi escrito por Gary Spencer Millidge, amigo do bruxo. Ele conta a trajetória criativa do roteirista, narrando cada projeto de que Moore participou a partir de imagens exclusivas e uma entrevista detalhada. Entra inclusive na questão das broncas que Moore acumulou ao longo dos anos com pessoas e empresas.

A obra, com 320 páginas e capa dura, sai dia 5 de julho nos EUA, pela Universe Press, e dia 18 de julho no Reino Unido, pela Ilex Press. Mas já pode ser encomendada via Amazon. Na edição britânica, contando o frete, sai por volta de R$ 80. Na norte-americana, sai por volta de R$ 60.

Fonte: Omelete http://www.omelete.com.br